educ

Tecnologia Assistiva e equiparação de oportunidades no contexto educacional

Mary Grace Andrioli
Escrito por Mary Grace Andrioli em janeiro 10, 2022
Junte-se a mais educadores

Entre para nossa lista e receba novidades com prioridade

Para as pessoas sem deficiência, a tecnologia torna as coisas mais fáceis. Para as pessoas com deficiência, a tecnologia torna as coisas possíveis

Mary Pat Rabanaugh

A Tecnologia Assistiva é para alguns estudantes com deficiência a única forma de favorecer o acesso ao currículo e a participação com êxito nas atividades propostas. Sem dar condições de aprendizagem a todos os estudantes, ampliamos ainda mais as desigualdades e geramos exclusão.

Mas o que é Tecnologia Assistiva e por que ela é tão importante?

De acordo com a definição estabelecida pelo Comitê de Ajudas Técnicas de 2007, a Tecnologia Assistiva, escrita dessa forma e no singular, é uma área do conhecimento. Por isso não falamos tecnologias assistivas, como é possível encontrar em alguns sites e sim Tecnologia Assistiva (TA).

A Lei Brasileira de Inclusão de 2015 define Tecnologia Assistiva ou ajudas Técnicas como:

[…] produtos, equipamentos, dispositivos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivem promover a funcionalidade, relacionada à atividade e à participação da pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida, visando à sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social (BRASIL, 2015)

Assim, observa-se que a área de Tecnologia Assistiva contempla muito mais do que dispositivos e equipamentos, mas inclui ainda práticas, estratégias e serviços, dentre outros. A finalidade da TA é favorecer a autonomia e a independência da pessoa com deficiência.

Um exemplo é a pessoa cega que ao utilizar um leitor de telas, consegue ter acesso às informações que precisa, tomar decisões, escrever, comunicar-se e publicar diretamente suas ideias, sem a necessidade de interferências de terceiros.

É muito comum confundir Tecnologia Assistiva com material pedagógico adaptado, mas são coisas completamente diferentes. Um material pode ser acessível para todos, incluindo uma pessoa com deficiência, mas por si só não possibilitar a autonomia e independência que uma cadeira de rodas, leitor de telas, acionador de computador e tantos outros recursos que promovem a funcionalidade relacionada a participação da pessoa com deficiência.

Vídeos sobre Tecnologia Assistiva

Assista ao vídeo a seguir com o Professor Antônio Borges, professor, pesquisador e criador de diversas tecnologias para empoderar pessoas com deficiência.

Acesse também a matéria apresentada no Programa TV Repórter. Nele você verá o quanto a TA contribui com a autonomia e qualidade de vida para as pessoas com deficiência. 

Para saber mais, acesse os sites e referências a seguir:

REFERÊNCIAS

ANDRIOLI, Mary Grace Pereira. PRIETO, Rosângela Gavioli. Accesibilidad a las tecnologias de la información y comunicación por los alunos com deficiência: conectando saberes y práticas. MARTINS, S. E. S. O; SANTAROSA, L. M. C; RODRIGUES, A. D.; HEREDERO, E.S.. (Org.). Tecnologías de la Información y Comunicación (TIC) en Educación Especial. 1ed. Henares – Espanha: Editora da Universidade de Alcalá, 2014, v. 1, p. 111-134.

ANDRIOLI, Mary G. P. Desenvolvimento de recursos na área de tecnologia assistiva: desafios e possibilidades em institutos federais. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-31072017160236/>. Acesso em 10 maio 2019.

ANDRIOLI, Mary G. P. Condições para o desenvolvimento de Tecnologia Assistiva em um Instituto Federal. PRIETO, R. G.; KUMADA, K. M. O. (Org.); BRITO, F. B. (Org.); ANDRIOLI, M. G. P. (Org.). Políticas de Educação Especial. 1. ed. Curitiba/PR: CRV, 2018. v.1. 137p. 

ANDRIOLI, Mary G. P. Recursos de Tecnologia Assistiva para o contexto educacional. Congresso Brasileiro de Educação Especial (CBEE). 2016.

BRASIL. Lei no 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: 2015a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. A construção do conceito de tecnologia assistiva: alguns novos interrogantes e desafios. Entre Ideias. Salvador, v.2, n.1, 2013. p. 25–42. Disponível em: <http://www.galvaofilho.net/TA_desafios.htm>.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Educação Especial e novas tecnologias: o aluno construindo sua autonomia. Revista Integração. Brasília, ano 13, n. 23, 2001, p. 24-28. Disponível em: <http://www.galvaofilho.net/autonomia.htm>

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Tecnologia assistiva para uma escola inclusiva: apropriação, demandas e Perspectivas. 2009. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2009. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10563/1/Tese Teófilo Galvao.pdf>.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves; DAMASCENO, Luciana Lopes. Tecnologias assistivas para autonomia do aluno com necessidades educacionais especiais. Revista Inclusão. Revista da Educação Especial / Secretaria de Educação Especial. Brasília: Secretaria de Educação Especial, v.1, n.1, out. 2005, p. 25-31. Disponível em: <http://atividadeparaeducacaoespecial.com/wp-content/uploads/2014/07/REVISTA-TECNOLOGIA-ASSISTIVA-E-NEE.pdf>

GARCIA, Jesus Carlos Delgado; GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Pesquisa Nacional de Tecnologia Assistiva. São Paulo: ITS Brasil. MCTI. SECIS, 2013.

GARCIA, Jesus Carlos Delgado; PASSONI, Irma Rossetto; GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. A inovação em tecnologia assistiva no Brasil: possibilidades e limites. I Simpósio Internacional de Estudos sobre a Deficiência, SEDPcD/Diversitas/USP Legal, 2013.

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *